Não importa se o filho está na educação infantil ou no Ensino Médio. A hora da lição de casa é um estresse para a família. Oportunidade de aprendizagem, de suporte, de envolvimento com a escola e de aproximação entre pais e filhos. A primeira dica, que servirá de base para todas as outras, é para você, pai/mãe. Sua postura em relação ao dever de casa afeta imensamente a forma como seu filho vai encarar esse momento. O primeiro passo é ensinar ao seu filho que a lição de casa é responsabilidade dele. Você apoia, ajuda, incentiva, participa, colabora. Mas a responsabilidade é do seu filho. Explicar isso, porém, só traz efeito contrário. É preciso demonstrar, na prática, para que seu filho possa entender de forma simples, sem brigas ou longos sermões que só estressam os próprios pais. Uma pequena mudança que vai gerar um grande impacto é não criticar o professor ou a escola na frente do filho. Caso você ache que a tarefa não está adequada para a faixa etária ou série do seu filho, seja em complexidade ou quantidade, não comente com ele. Converse com a coordenação da escola sem que seu filho participe da conversa. Pais que são parceiros da escola e do professor ajudam o aluno a enfrentar suas dificuldades e assumir a responsabilidade que a aprendizagem requer ao longo da vida.

Pesquisas recentes confirmam que retomar conteúdos que estamos tentando aprender é uma forma de “sinalizar para o cérebro” que aquela informação é importante e deve ser assimilada. Isso significa que fazer alguma atividade em casa, depois da aula, é uma excelente forma de tornar o aprendizado um processo tranquilo. Não, a tarefa não é para a escola, para o professor ou para passar de ano. A lição de casa serve para que o próprio aluno seja capaz de entender e assimilar os conteúdos que estão sendo estudados. E toda vez que esses conteúdos são retomamos, as chances são maiores de que eles se tornem mais uma camada do alicerce para que aprendizados mais complexos possam acontecer.

Combine com seu filho um horário para que ele estude todos todos os dias, em casa. Tenham um relógio escolhido como ponto de referência para que ele mesmo pegue seu material e sente para estudar quando o horário combinado chegar. Ao tornar o momento da tarefa ou dos estudos uma rotina programada e previsível, o aluno assimila melhor esse momento como uma responsabilidade que não pode ser transferida. Deixe que seu filho participe da decisão sobre o horário que passará a ser oficialmente a “hora do estudo”.

E tem um motivo para esse nome não ser a “hora da tarefa”: de segunda à sexta, nesse horário ele vai fazer a lição de casa, ler algumas paginas de um livro, fazer um pequeno resumo das matérias que teve na escola ou até mesmo desenhar ou pintar, caso não haja tarefa vinda da escola. Estabelecida a rotina, entendida a responsabilidade, elogie e reconheça os esforço que seu filho colocar em cumprir o que vocês combinaram. Dias mais leves virão juntamente com melhores resultados na escola!

 

              

A “hora da tarefa” deve ser parte da rotina da família, mesmo que a escola não envie tarefa!

Posts Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *