Já estamos em outubro e muitos pais começam a nos procurar já desesperados na corrida contra o tempo.

Até esse momento muitos deles foram vivendo uma montanha russa de emoções em relação ao envolvimento dos filhos com os estudos. Algumas vezes levando sustos com notas baixas e bilhetes da escola, outras se consolando com uma nota ali, raspando na média, sinalizando a esperança de que a situação ia mudar para melhor.

De repente os pais entram em pânico ao perceber que restam praticamente dois meses completos de aulas e lá se foi mais um ano letivo.

Olham para o lado, com aquele frio na barriga e enxergam seus filhos ali, tranquilos, como se não tivessem a mínima ideia do grande desafio para o pouco tempo restante.

Temos duas boas notícias para acalmar seu coraçãozinho, queridos pais e mães. A primeira é que ainda há sim tempo suficiente para fazer um final de ano sem sustos e notícias desagradáveis. E a segunda é que seu filho não está necessariamente sentindo aquilo que deixa transparecer. As chances são enormes de que ele esteja tão ou mais preocupado do que você, contudo, não sabendo como sair dessa situação, acaba por entrar no modo “deixa como estar, para ver como é que fica”.

É agora o momento de mudarem alguns elementos na rotina da família, de forma a criar o clima e ambiente que favoreçam a virada que pode ser feita se vocês agirem juntos.

Aí vão 3 dicas de como ajudar seu filho a assumir o controle e tirar o atraso em relação aos estudos:

  • Adeque o horário de sono – dormir bem é uma das principais formas de preparar o cérebro para que a aprendizagem ocorra de forma tranquila e consistente. A tendência de estudantes que tiveram desempenho abaixo do esperado no primeiro semestre é ter uma rotina de sono descontrolada. Dormem menos tanto pela ansiedade quanto pela busca de atividades que ajudem a relaxar e esquecer o sufoco que estão passando na escola. E isso acaba por atrapalhar ainda mais o desempenho escolar. Ajude seu filho a retomar a rotina de pelo menos oito horas de sono a cada noite. Combine que ele vai para a cama 30 minutos mais cedo a cada semana, até que tenha retomado o número de horas necessário. Para que ele consiga dormir mais cedo, será necessário um esforço conjunto inicial de toda a família. A tecnologia acaba por gerar estímulos que retardam o relaxamento necessário para que ele possa dormir. O ideal é você combinar com ele o horário em que todos os aparelhos serão desligados. Caso ele não cumpra, você assume seu papel de responsável e desliga, sem sermões ou brigas – simples assim!
  • Defina um horário fixo para a tarefa e estudo – estudar no mesmo horário é uma ótima técnica para tornar essa prática uma parte da rotina diária. Caso você ainda não tenham isso definido, o momento é este. Combinado o horário, que pode respeitar características do seu filho, como a necessidade de descanso depois da aula ou a brincadeira com amigos do prédio no final da tarde, resta organizar os horários de todos para que seja cumprido o horário definido como ideal. Supondo que vocês tenham escolhido o final da tarde como horário de estudo, a partir das 17:30 seu filho tem que sentar para fazer a tarefa da escola e refazer atividades e provas das matérias em que tem as notas mais baixas. No horário definido como horário de estudo, todos os equipamentos de tecnologia devem estar desligados!
  • Relaxe e descubra que nota você tiraria nas provas do seu filho – muitas vezes tudo o que o filho precisa é de um incentivo diferente, altamente motivador e desafiador. Que tal propor que seu filho prepare provas para você exatamente das matérias em que ele tem as notas mais baixas? Não se preocupe com a nota que você vai tirar. O importante é a energia que ele vai encontrar para preparar as provas para você e o quanto vai ter que se dedicar para pensar nas questões. Mais que isso, para corrigir e dar a nota, ele vai ter que buscar as respostas nos materiais da escola – apostilas, livros, cadernos. Em alguns casos pode até ter que pedir ajuda para o professor. E não há melhor maneira para estudar do que precisar do conteúdo para corrigir a prova, ao invés de ser o alvo da correção.  O bônus dessa dica é que seu filho relaxa em relação àquele medo do nome “prova”. Se ele mesmo já preparou algumas e corrigiu, cai aquele mito de que a prova é algo inatingível para um aluno. Não se preocupe se você realmente não souber o conteúdo. Arrisque alguma resposta. E se for aquela matéria que é sua especialidade, capriche em algumas respostas e erre outras, para dar a ele o trabalho de buscar a resposta correta na hora de corrigir.

E para fechar, que tal assistir a esse vídeo que gravamos contando sobre os 3 principais erros que os pais cometem no final do ano letivo?

Reta final do ano letivo e seu filho na maior tranquilidade? Veja 3 dicas

Posts Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *