Recebemos muitos pedidos de Socorro de pais que não sabem mais o que tirar dos filhos como forma de castigo. Normalmente, tudo começa no momento em que o filho começa a ir mal nas provas e os pais, já não aguentando mais implorar para que o filho estude, têm uma ideia: se não tirar nota boa na prova vai ficar sem celular, computador, tv ou videogame.

f2f2cd_521a3cf767614ea5a7c7c9fa3780e056

Embora possa parecer o castigo ideal, temos uma notícia no mínimo perturbadora: além de inútil, essa tentativa de punição é prejudicial.

E por que não funciona? Porque o foco do problema é outro: seu filho precisa aprender a se concentrar, estudar e ter responsabilidade apesar de toda tecnologia disponível. Esse aprendizado tem que acontecer em casa, na rotina da família.

Não é necessário tirar a tecnologia. O desafio é ensinar aos filhos como organizar sua vida.

A questão sempre é a falta de alguma ação, não sobra. Então tirar a tecnologia nunca resolve exatamente por isso: a busca deve ser pelo equilíbrio,  considerando a tecnologia como parte integrante da vida de nossas crianças. Nunca tire, acrescente o que está faltando. Automaticamente o uso da tecnologia volta para o patamar que não prejudica.

Quando os pais tiram, acabam por aumentar o problema: agora o filho não tem um, nem o outro. Sai a fonte de informação, entretenimento, relacionamento social, acesso ao mundo sem fronteiras e não entra nada que o ensine a se concentrar/estudar/ter responsabilidade!

Você pode estar pensando agora, “tudo bem, entendi que não devo tirar o celular, mas o que devo fazer?”

Nossa sugestão é dar aos filhos mais responsabilidade em casa, ao invés de tirar a TV ou celular.

Por exemplo, você já pode combinar com com seu filho que a responsabilidade por arrumar o próprio quarto é dele. Não discuta sobre isso. Só informe que será bom para ela entender que há sempre consequências para ele mesmo das ações que toma e também daquilo que deixa de fazer.

No caso de uma nota ruim, dê a ele a responsabilidade de estipular uma nota como meta para a próxima prova. Junto com a meta que ele definiu, deve apresentar para você um plano do que vai fazer para conseguir aquela nota. Sim, seu filho é perfeitamente capaz de fazer esse planejamento e ficará totalmente comprometido em atingir a meta se você demonstrar que confia na capacidade que ele tem para isso.

Veja aqui nossa sugestão de como você pode orientá-lo para fazer essa lista de ações para melhorar as notas.

E nada de discutir ou entrar em conversas longas para explicar – basta você dizer que de agora em diante a regra é essa: fazer a tarefa doméstica que ficou sob a responsabilidade dele, seguir o plano de ação que ele próprio criou e trazer melhores resultados nos estudos.

Ao perceber que você passou para ele, filho e aluno, a responsabilidade por conseguir bons resultados nos estudos, a atitude e postura muda. Aceita o desafio de passar essa responsabilidade para seu filho e assumir o papel do apoio, suporte, ajuda e não da solução?

“Se não tirar nota boa na prova vai ficar sem celular, computador, tv ou videogame”

Posts Relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *