Buscar

Conseguir que os filhos desenvolvam o hábito da Leitura é um dos maiores desafios que as famílias têm hoje dentro de casa. E a realidade não é diferente para os professores. A concorrência com os estímulos que as telas oferecem à geração que já nasceu conectada é gigantesca. Ainda assim, essa é uma batalha que vale ser enfrentada.


A leitura é o remédio capaz de evitar ou minimizar qualquer dificuldade de aprendizagem, não importa em que área. Inúmeras pesquisas mostram que grande parte da dificuldade que as crianças enfrentam no aprendizado de matemática, por exemplo, está ligada à falta de domínio da leitura. Além disso, a leitura é fundamental para o desenvolvimento de habilidades como paciência, capacidade de lidar com a frustração, criatividade, empatia e para enriquecer a memória.




Em um bate papo descontraído que tivemos com a Carolina, do Coletivo Leitor, falamos sobre essas questões e os impactos no momento que vivemos atualmente.

Uma live que vai ajudar você com dicas práticas de como incluir a leitura na rotina da sua família e inspirar você, professor ou gestor escolar a utilizar os inúmeros recursos que a plataforma oferece!




Foi no susto a virada das aulas presenciais para o formato remoto.

O desafio com as crianças pequenas ainda maior.

Ainda assim, a afetividade esteve sempre no centro das decisões e interações!

Quem conseguiu pensar em afetividade quando estávamos em meio ao caos? Como isso pode ser possível depois de tantos meses de dúvidas, angústias, cansaço físico e emocional?



A resposta é uma só: para aqueles que já tinham a afetividade como parte tão integrante do processo ensino-aprendizagem nem foi preciso “pensar” para fazer isso. Assim segue cada uma das unidades do Red Balloon: acolhendo professores e famílias. Buscando maneiras de manter os alunos envolvidos e ativos no processo de aquisição de uma língua estrangeira e no desenvolvimento de habilidades para a vida.


Nossa conversa com a Ruymara Almeida é um banho de inspiração e uma injeção de ânimo para seguirmos em frente!


Em tempos de esgotamento físico e emocional de alunos, pais e professores, incluir as competências socioemocionais no currículo escolar deve ser prioridade!


Em tempos de grande instabilidade emocional, é necessário garantir um alicerce sobre o qual os conteúdos acadêmicos poderão encontrar apoio. Se não ficarmos atentos a essa necessidade, corremos sérios riscos de agravar ainda mais as perdas que se acentuaram ao longo do período de escolas fechadas.



Um programa para o desenvolvimento de habilidades socioemocionais precisa ser uma das prioridades da escola, agora mais do que nunca.


Entender as próprias emoções, aprender a nomear cada uma delas e regular o próprio estado emocional são pressupostos essenciais para que possamos minimizar as perdas e assumir novamente o controle do processo ensino-aprendizagem.


Mas, afinal, que emoções são essas e de que forma elas impactam o trabalho do professor e a relação do aluno com os estudos? Prepare-se para ouvir a fala encantadora do Dr/Professor Celso Lopes de Souza, do Programa Semente:





Instagram

© 2014 SOSEducação. Todos os direitos reservados.