Buscar

2 dicas para o segundo semestre escolar

 1. Aperte o botão de pausa em algum momento, mas não na hora da lição de casa!

Apesar de todos as facilidades que a tecnologia trouxe para a rotina dentro de casa, temos cada vez menos tempo. Onde foi parar o tempo que usávamos para fazer café, lavar roupa, lavar louça, se hoje apertamos um botão e essas tarefas são executadas de forma automática? A verdade é que cada pessoa exercia um papel na sociedade. Quando tínhamos que pagar uma conta, o caixa do banco fazia isso. Se planejávamos uma viagem, a agência de turismo cuidava de tudo. Para alugar ou comprar uma casa, era só passar para a imobiliária encontrar o imóvel no perfil desejado. Se precisávamos de um táxi, era ligar e esperar. Para falar com um amigo, parente ou cliente, só parado, totalmente disponível para a conversa no telefone fixo. Essas tarefas são hoje executadas simultaneamente. Temos mais comodidade, mas perdemos o controle sobre nosso próprio tempo.

Tentando dar conta de tudo, deixamos para achar que estamos sobrecarregados exatamente na hora da tarefa dos filhos, na hora de buscar na aula, no momento da reunião da escola. Então sentimos a culpa pela falta de tempo e paciência pesar em nosso ombro. Extremamente cansados por tentar exercer com perfeição o papel de agente de viagens, telefonista, caixa de banco entre outros, ficamos sem energia para o que mais importa – os filhos. A lição de casa, as provas na escola, o vestibular não são uma atividades que sobrecarregam nossos filhos. Os estudos são a obrigação e a oportunidade para que eles cresçam. Eles vão sempre reclamar, ainda mais quando percebem o efeito que isso surte nos pais. E não tem problema que reclamem, desde que cumpram com a responsabilidade que é deles. Ajude seu filho a ver a tarefa e os estudos como momentos dos quais você, pai/mãe, se orgulha muito. O botão de pausa está logo ali, juntinho do play nos eletrônicos. Dentro de nós também: a opção do que pausar é sempre sua e de ninguém mais!

2. No desespero típico dessa época do ano, os pais tentam incluir aulas e mais aulas particulares, tirar o celular, a TV, o esporte e tudo o mais que estiver ao alcance, na tentativa de reverter a queda das notas e a falta de interesse pelos estudos. E as notas continuam ladeira abaixo. Pesquisas recentes mostram que nossas crianças e adolescentes estão dormindo até duas horas a menos do que nós, pais, dormíamos quando éramos “os filhos”. Durante a noite de sono, vários processos ocorrem no cérebro que ajudam a garantir momentos de aprendizagem mais produtivos no dia seguinte. Além de estar mais preparado para aprender, o cérebro descansado e limpo ajuda para que o aluno consiga se concentrar durante a aula e no momento da tarefa. Sem uma noite completa e tranquila de sono, fica quase impossível para um aluno aproveitar bem a aula no dia seguinte. Assim, não há aula particular, castigo, reforço ou recuperação que consiga reverter a situação negativa na relação com os estudos. O tempo necessário de sono varia de acordo com a idade e outras características de cada pessoa. Converse com o pediatra de seu filho para saber qual o tempo ideal para ele. O certo é que mesmo oito horas é pouco para crianças e adolescentes. Para conseguir que durmam mais cedo, deixe a culpa de lado. Mesmo que você tenha menos tempo do que gostaria com seu filho, deixar que durma mais tarde só traz prejuízos. É preciso que todos estejam desconectados e fazendo atividades leves, como leitura, desenho, banho, conversa meia hora antes da hora de ir para cama. Ir para a cama 15 minutos mais cedo a cada semana é o melhor caminho para ajustar a rotina. Depois de quatro semanas, seu filho estará dormindo uma hora a mais. Sem tirar nada do seu filho é possível conseguir um melhor desempenho na escola. Simples assim, sem culpa, sem brigas, sem estresse.

0 comentário

© 2014 SOSEducação. Todos os direitos reservados.