Buscar

Período do ano mais estressante para os pais: Férias de Verão

Talvez você pense que é só você. Grandes chances de bater até aquele remorso por achar injusto você querer tanto que o mês voe para que os filhos voltem para a escola. E quando atualiza o feed nas redes sociais, bate aquela sensação péssima de que só você não sabe como aproveitar as férias das crianças. Pode tirar agora mesmo todos esses pensamentos da sua lista de pecados. E da lista dos remorsos também. É não só normal, como também comprovado que este é o período do ano que mais gera estresse para os pais. E não estamos falando de sensação, mas de aspectos da vida que realmente sofrem o impacto da rotina alterada pelas férias escolares de verão. Um estudo mostrou que há cinco pontos da rotina da mãe, pai e do casal que são fortemente impactados pela forma como os filhos “aproveitam” as férias escolares hoje em dia. Pode respirar aliviada/o e tirar esse peso das costas: você tem toda razão por estar sofrendo com o desafio que está enfrentando ao longo deste mês. A boa notícia, você não está sozinha/o. Vamos falar sobre como amenizar o sufoco a partir da consciência de quais são os fatores que geram todo o estresse que vem pela frente.

  1. Deixar que os filhos tenham horários mais flexíveis durante as férias é uma das primeiras mudanças na rotina da família desde o final do ano letivo. Com o tempo, porém, isso vai pesando para nós, pais. Isso porque em geral nossa vida segue normal, com todas as obrigações, compromissos e responsabilidades. Depois das festas de final de ano, estamos esgotados e precisando de noites mais tranquilas, horários mais organizados. Exatamente quando nossos filhos estão no maior pique para aproveitar as férias. Sem perceber o efeito de longo prazo, vamos nos adaptando aos horários dos filhos. O que acabamos não percebendo é que mantemos o horário de acordar – seja por conta do trabalho ou pelas responsabilidades dentro de casa mesmo. E como estamos indo para a cama cada vez mais tarde, aos poucos o número menor de horas de sono vai pesando em nosso desempenho no trabalho e na paciência com as pessoas ao redor. Para saber o resultado, é só fazer o cálculo: alimentação desregrada + pouco tempo de sono + rotina diária com muita demanda de energia. Essa conta não tem como acabar para você. A sugestão é fazer um combinado em que cada noite um adulto responsável fica com os filhos até mais tarde. Sexta e sábado todos podem ficar juntos. Mas não se esqueça de que janeiro só é o mês de férias e não o fim do mundo: você ainda é responsável pelo seu filho. Não faz sentido algum trocar o dia pela noite, seja qual for a idade por aí. Determine um limite para que todos os equipamentos estejam desligados e todos na cama.

  1. É muito difícil manter uma alimentação saudável durante as férias. Mesmo que você seja fã dos milhares de programas de TV que trazem excelentes sugestões e alternativas para doces e lanches cheios de calorias, é uma missão quase impossível manter uma dieta saudável ao longo do mês de janeiro. Isso porque sua vida não se resume à hora das refeições. Ainda que você tenha em casa alguém para preparar a comida, há o desafio de lidar com alterações de horários e presença de primos ou colegas do filho que vêm para passar o dia. E tem mais: seu filho também vai para a casa de algum familiar ou amigo. Não dá para controlar o que ele vai comer por lá. Isso sem contar a ida ao cinema, praia, parque. Além de mostrar que as crianças tem uma alteração negativa na saúde física, a pesquisa mostrou que as férias escolares levam os pais a uma dieta mais calórica e menos saudável. Muitas vezes inconscientemente, usam a alimentação como uma das formas de aliviar a tensão pelo acúmulo de estresse que este período traz. Ou vamos nos enganando com aquele: ah, já que comi pizza e tomei sorvete ontem à noite, o que tem demais um hamburger no almoço. Como o organismo das crianças se adapta mais rapidamente às mudanças, assim que retomarem a rotina escolar, eles voltam à forma e à alimentação adequada sem tanto sofrimento. Mas nós, adultos, vamos acumulando as consequências desse um mês de pé na jaca. A dica é não se deixar levar e nem achar que é só um mês. São quatro semana, que chegaram logo depois das festas de final de ano, já tão cheias de bebida e comida em excesso. Nesse caso, por você mesmo/a, segura a onda. Sim, vai acabar sendo um bom exemplo para seu filho, mas é realmente por você que vale a pena controlar o impulso e cuidar da alimentação. Isso também vai ajudar você a equilibrar os outros aspectos da vida que saem dos trilhos durante as férias!

  1. Aquela noite tranquila com amigos para relaxar, já era. Se estiver tentando ganhar uma promoção ou aumento de salário, nada de sonhar com isso para o mês de janeiro. Qualquer aviso de reunião que ultrapasse o horário normal de trabalho já faz seu coração sair pela boca. E se não há tempo para esses dois aspectos da vida pessoal, sua vida amorosa então, fica em pausa total. Na correria para dar conta de tudo, você acaba nem percebendo o quanto tudo isso contribui para que você decida fazer aquela novena caprichada para que as férias terminem antes que você esteja acabada. Claro que há sempre aquela alternativa de juntar os amigos em casa, para uma noite de risadas e conversas. Mas não há como negar que você termina essa noite jurando que nunca mais vai fazer isso. Teve a correria de preparar os petiscos quando chegou em casa, interrompeu a conversa duzentas vezes para socorrer filho chorando, teve que arrastar o pó que sobrou de você para deixar tudo mais ou menos em ordem antes de ir para a cama e acordou com cada cômodo da casa do avesso, com a festa que as crianças fizeram enquanto os casais conversavam. Ah, como homem é mais tranquilo, ainda tem uma semana sem falar com o marido porque ele não ajudou em nada depois que os amigos foram embora. Ou seja, as férias escolares não são para mães e pais amadores!

  1. Seria cômico se não fosse trágico: você come mal, dorme pouco, coloca seus relacionamentos na geladeira e, apesar de tudo isso, ainda sente uma culpa enorme. Nesse período os pais sempre acham que deveriam estar mais com os filhos. Lamentam a falta de dinheiro para o passeio dos sonhos. Desejam dar as férias inesquecíveis, que possam se transformar no tema da redação nota dez. Se corroem pelo tempo que os filhos estão passando diante das telas, seja TV, videogame, tablet ou celular. Ficam remoendo todos os “não”, mesmo aqueles que faziam todo sentido, que livraram os filhos de situações de risco. E quando o final das férias se aproxima, já estando no auge do estresse, ao invés de respirar aliviados, os mais se martirizam com pena de fazer os ajustes na rotina necessária para o volta às aulas. É muita culpa para quem deu o melhor de si. É cobrança demais para quem teve que dar conta de IPTU, IPVA, material escolar, uniforme, contratação de van, mudança de escola e todas as milhares de responsabilidades que, apesar do estresse, conseguimos cumprir com louvor! Ufa, entendeu porque as férias realmente deixam os pais em frangalhos? Que tal fechar esse período com um jantar em família, cada qual lembrando os melhores momentos que vocês tiveram e dos quais vão sentir saudade!

Receba nossos textos e conteúdo exclusivo: Inscreva-se aqui

Compre nosso livro AQUI

#férias #fériasdosfilhos #fériasescolares

0 comentário

© 2014 SOSEducação. Todos os direitos reservados.