top of page
Buscar

Segundo semestre letivo: o impacto da hora das refeições em família no desempenho dos alunos

Se pensarmos friamente, é até engraçado que o momento das refeições seja o tema de tantos posts, artigos e palestras que fazemos dentro e fora do Brasil. Especialmente quando lembramos que não somos nutricionistas, mas sim especialistas na relação família-escola.


Nosso desafio é encontrar no dia a dia tão atribulado das famílias as oportunidades para ajustes que podem tornar mais leve a relação dos filhos com a escola e os estudos. O momento das refeições está entre os hábitos que mais mudaram, junto com a chegada do acesso à tecnologia móvel, dentro dos lares. E muito do que se perdeu está fazendo falta nos dias de hoje. A forma como acontecia. Os benefícios que deixava. O tempo que tomava. Em muitos casos, também o alimento que se comia. Acima de tudo, a importância que nossos pais davam a esse momento e o quanto os eles se empenhavam para manter a refeição como um ponto de encontro. Durante a refeição, todos falavam, ouviam e até mesmo brigavam, mas faziam tudo isso olhando um para o outro, sem interferência alguma a não ser as vozes dos próprios irmãos. As famílias eram maiores, a variedade de comida em cada refeição era menor. Ainda assim, sobrevivemos todos.


E, sim, éramos crianças com as mesmas necessidades que nossos filhos e também com a mesma capacidade de adaptação e aprendizagem, assim como fomos muitas vezes um grande desafio para nossos pais. Acreditem, pai e mãe, a refeição em família é um dos costumes que mais estão fazendo falta na vida de nossos filhos. Só a refeição e a família, assim mesmo, sem nenhum outro elemento. Televisão, celular, tablet só trazem prejuízo nesse momento. Como o retorno negativo vem com maior peso em outras situações, geralmente os pais não conseguimos fazer a relação da consequência com as reais causas. A refeição em família pode ajudar no desenvolvimento de habilidades como paciência, respeito, flexibilidade, empatia, capacidade de lidar com a frustração, ser um bom ouvinte, foco e concentração. As consequências positivas virão na maior capacidade da atenção na hora da aula, na relação com os colegas de escola e familiares, no respeito por regras de convivência social. Mais que tudo isso, os laços em família são reforçados.


Os pais têm a chance de realmente conhecer seus filhos. E podem ajudar para que sejam crianças ou adolescentes seguros o suficiente para navegar pelo mundo virtual sem o perigo de criarem com estranhos a relação que faltou estabelecer dentro de casa. É assim que um segundo semestre letivo mais leve começa na mesa das refeições aí dentro da sua casa!

0 comentário

Comentarios


bottom of page