top of page
Buscar

Um pequeno ajuste na rotina da família, um grande impacto na relação do seu filho com a escola.


O sono é um dos fatores com maior impacto na capacidade de adaptação e aprendizagem das crianças e adolescentes. E também um dos elementos do dia a dia em família que mais sofrem alteração ao longo das férias. É preciso tempo para que o corpo se ajuste a uma mudança de horários na rotina, especialmente para conseguir pegar no sono. Deixar que toda a família siga até o dia que antecede o retorno das aulas no mesmo ritmo das férias prejudica muito a relação que seu filho terá com os colegas, professores e com a aprendizagem. Não bastassem os prejuízos no envolvimento dentro da escola, há também uma mensagem subliminar negativa para nossos filhos. Quando deixamos para mudar os horários de ir para a cama e acordar para a semana em que as aulas começam, reforçamos nos filhos uma relação negativa com a escola.


Isso porque, até o dia em que as aulas começaram, todos dormiam até que o sono tivesse acabado. E parece que a escola é responsável pela sensação de cansaço e mal-estar que as poucas horas de sono passam a gerar no retorno às aulas. Porém, dormir menos é o verdadeiro causador da mudança de humor. Começar a fazer o ajuste no horário de ir para a cama uma semana antes do volta às aulas é o ideal. Esse tempo é um prazo tranquilo para que todos possam manter o número de horas de sono necessárias para um dia cheio de energia. Tudo bem que nos primeiros dias todos vão se deitar ainda sem sono. O importante é ajudar o corpo a se ajustar ao longo dos próximos dias. O desafio maior: os pais entenderem que isso não é uma negociação. Tudo bem os filhos reclamarem. De fato, levantar e ir para a cama mais cedo ainda durante as férias parece um incômodo para os filhos. Precisamos assumir que a responsabilidade é dos adultos, e nãos das crianças, para fazer essa mudança. Quando seu filho/a reclamar que é chato ir mais cedo para a cama, reconheça o desafio que isso representa.

Tentar provar que é para o bem dele, com explicações lógicas prolongadas só gera ainda mais frustração. Deixe seu filho falar o que está sentindo. Mostre que ouviu e proponha a leitura de um livro, ouvir músicas suaves, conversar sobre os bons momentos das férias ou expectativa para o novo ano letivo. Contar sobre suas memórias em relação ao retorno às aulas também é interessante e mostra empatia em relação ao sentimento do seu filho. Em pouco tempo, ir para a cama mais cedo se torna o novo normal. Um esforço que volta em forma de maior envolvimento na escola e melhor desempenho no aprendizado ao longo de todo o ano!



Conteúdos novos todos os dias no nosso Instagram e Facebook.

Clique aqui para acessar.


Saiba mais sobre nossas Palestras: 11.938051719

Informações sobre Atendimento Individual: 11.938051719


📖 Livro "Socorro, meu filho não estuda":

Clique aqui para comprar.


0 comentário

Comments


bottom of page