top of page
Buscar

Voltar para a escola não é castigo – como garantir que os filhos entendam isso


 Ir para a escola é um grande privilégio que nossos avós não tiveram. Assim como crianças e adolescentes de diversas partes do mundo ainda sofrem sem ter esse direito atendido. As palavras e postura dos pais são as duas únicas maneiras de passar a nossos filhos a mensagem sobre o quanto a escola é importante na vida deles. É normal que, depois de um mês com a rotina mais relaxada, sem pressão de horários e responsabilidades, os filhos reclamem para voltar à escola. O papel dos pais nesse momento é fundamental para que essa postura de preguiça totalmente compreensível e normal não se transforme em estresse, comportamento agressivo e baixo desempenho na escola. Na correria do dia a dia, acúmulo de funções e pressão emocional ou financeira, os pais acabam esperando que a escola traga solução para desafios que precisam ser vencidos em equipe: família e escola juntos! Nesse momento, a bola ainda está no campo da família: é dentro de casa que se forma o respeito que nossas crianças e adolescentes têm pela escola e professores, assim como a responsabilidade pela aprendizagem. A partir desta semana, é hora de retomar com toda energia a parceria com a escola, com a consciência de que quanto mais harmonia houver, mais seu filho se beneficia. E sua parte, como responsável, começa nas palavras que usa, na forma como se expressa e na postura que assume quando o assunto é a escola. Vamos juntos nesse desafio de fazer um ótimo recomeço para garantir um final feliz logo ali no final do semestre! Para ler cada dica inteira é só clicar nas imagens:

  1. Lembra de como você falava para o seu filho sobre os planos para as férias? Então, é essa mesma energia que seu filho precisa sentir quando você comenta sobre o volta às aulas! Clique aqui ou na imagem para ler mais sobre esse dica.


2. Não trate o retorno para a escola com se fosse uma negociação. É só uma responsabilidade que precisa ser cumprida, para o bem de todos! Clique aqui ou na imagem para ler mais sobre esse dica.

As férias de julho têm características que tornam o retorno um pouco mais sofrido. O tempo frio já traz aquele prazer ainda maior de dormir até mais tarde. Já não há aquela expectativa em relação às novidades que o início do ano letivo trazem. Predomina a sensação de “já sei exatamente o que me aguarda e prefiro mesmo a boa vida aqui em casa onde tudo cai pronto na minha mão!”. Não deu nem tempo de sentir aquela saudade que o distanciamento proporciona e já é hora de voltar. Por esses motivos e mais algum excesso de privilégio sem os deveres correspondentes que nossos filhos têm hoje, voltar para a escola se tornou uma tortura ainda maior. E não só para os alunos, mas para a família toda! Os pais começam a tentar convencer os filhos mesmo antes de que as crianças se deem conta de que está chegando a hora de voltar. O discurso dos pais será sempre tentativa mal sucedida de vencer pela lógica aqueles que facinho, facinho nos vencem pela emoção e pelo cansaço. Há uma forma de tornar menos sofrida essa fase: parar de tentar negociar o que é inegociável. Discutir por longos períodos com os filhos e tentar contestar os argumentos que eles trazem passa a mensagem de que há alguma possibilidade de negociação para a situação. E quanto mais os pais entram nesse jogo, mais soa como se fosse uma disputa em que um dos lados sairá vencedor. O melhor caminho é não discutir. Ouvir sim. Demonstrar que entendeu o que o filho está colocando, sim. Retrucar, ficar bravo ou triste e achar que tem que convencer seu filho é só gasto inútil de energia boa. Use sua carga de bateria para brincar, correr, jogar, conversar com seu filhos sobre outros assuntos. O retorno às aulas já está resolvido, não há o que negociar!

3. Uma frase para deletar nessa época de volta às aulas: “Acabou a moleza. Hora de voltar para a escola.” Clique aqui ou na imagem para ler mais sobre esse dica.


4. Hoje é dia de comemorar junto com os filhos o início de uma nova etapa. E adivinha quem é o homenageado da noite? Clique aqui ou na imagem para ler mais sobre esse dica.


0 comentário

Comentarios


bottom of page