Buscar

Mais de 50 países se reúnem para discutir o assunto e compartilhar soluções.


Há quase dois anos acompanhávamos a chegada de uma pandemia que, aos poucos, foi levando escolas do mundo todo a fechar e buscar novas maneiras de cumprir seu propósito. O pior passou. As escolas reabriram, mas consequências desse período seguem impactando a educação.

Fomos para Londres, até a maior feira de Educação e Tecnologia do mundo, a Bett Show, em busca de estratégias para superar os prejuízos e traumas que ficaram para Gestores, Professores, Famílias e, especialmente, para os alunos.


A maior surpresa foi perceber que ninguém falava de “Educação Pós Pandemia”. Saímos do Brasil pensando em descobrir ações que pudessem amenizar os impactos negativos que a pandemia deixou na educação. E a cada visita em instituições de ensino, em cada conversa, para cada novo estande que caminhávamos entre os expositores da Bett Uk, nada de “soluções para o prejuízo deixado pela pandemia”. Eis que descobrimos não existir “educação pós pandemia”. O mundo olha para a educação como um processo contínuo, repleto de inúmeras demandas que requerem agilidade e competência. Os alunos não esperam nosso tempo para crescer. Em um piscar de olhos terão se tornado as mentes e corações que vão liderar o futuro que já bate à nossa porta!

Tudo o que vimos, ouvimos e vivenciamos relacionado à educação tem como objetivo o avanço. O foco é seguir adiante, olhando para a necessidade que esse aluno tem hoje e para a continuidade dos trabalhos sérios e responsáveis que já estão acontecendo.

Uma pesquisa recente, realizada nos Estados Unidos, mostra que o uso da tecnologia na educação teve uma queda significativa após a reabertura das escolas. Ao mesmo tempo, líderes e pensadores da área educacional de diferentes partes do mundo concordam que sem a tecnologia teremos uma missão quase impossível a cumprir na educação. Eliminar as lacunas de aprendizagem que ficaram do período de escolas fechadas e ajudar para que alunos e professores retomem o equilíbrio socioemocional são desafios que escolas de diferentes países enfrentam agora.

Palestra: Empower, Inspire, Achieve: STEAM Education and Careers - Kate Swanborg, Vice Presidente de Tecnologia da Dreamworks e Chris Babson, Diretor mundial de educação da Lenovo

Mais de 50 países juntos mostraram que ainda temos desafios pela frente. Dentre eles, a escassez de recursos financeiros e a falta de previsibilidade na receita da escola; a sobrecarga de trabalho para os professores e a crescente demanda para os profissionais da educação em relação à integração da tecnologia, quando a formação ainda não é suficiente. E nas tendências que o mundo vem apresentando, ficou marcada a Tecnologia como recurso fundamental, a formação do aluno para comunicação internacional e as Parcerias entre escolas e empresas privadas, para que seja possível enfrentar com sucesso um desafio tão complexo como o que vivemos atualmente.

O ponto em comum entre a educação dos mais de cinquenta países que participaram da Bett Show é a busca por recursos, ferramentas e estratégias que consigam melhorar o envolvimento do aluno no processo de aprendizagem. A capacidade de foco e atenção, que já estava reduzida, ficou ainda mais prejudicada após as adversidades que a pandemia trouxe.

Há muito trabalho sério sendo feito por aqui. E há também muito em que podemos nos inspirar pelo mundo afora.

Um exemplo é o papel que tem a tecnologia na Educação em países que conseguem ótimos resultados no desempenho e envolvimento dos alunos. Os recursos tecnológicos são parte indissociável do processo ensino-aprendizagem. Para chegar a esse ponto, precisamos investir na formação de professores, em internet acessível para todos os alunos e na escolha de parceiros que conheçam realmente os desafios da educação.

Em relação à integração da tecnologia na educação, o foco está na qualidade e na busca por impactos que sejam reais e mensuráveis. O professor não aceita mais ter que se virar para usar equipamento que em nada acrescenta às suas aulas. Esperamos que no Brasil essa tendência também se confirme: investimento em tecnologia de qualidade para de fato impactar de forma positiva nossa educação.

A delegação brasileira que participou da Bett Global retorna cheia de energia para caminhar lado a lado com a escola. Educadores e empresários conscientes de que o desafio é enorme, mas certos de que juntos é possível reverter os números tão negativos que temos hoje. Tanto em relação ao desempenho na aprendizagem, como no abandono escolar e na carência de suporte que nossos profissionais da educação merecem.


Fica um sentimento delicioso de que o Brasil está caminhando em ritmo muito próximo ao dos países em que a educação já atingiu os níveis que tanto sonhamos. As empresas que estavam representando nosso país e estarão também na Bett Brasil, que acontece em São Paulo, no mês de maio, estão prontas a formar parcerias de sucesso com escolas dos diversos cantos desse nosso Brasil. Não há mais tempo a perder. Nosso compromisso precisa ser em garantir que essas crianças que estão na idade escolar agora recebam a educação de qualidade que merecem. Uma missão a ser cumprida a muitas mãos, unidas em um propósito comum!

Parabéns Lenovo Brasil, Educbank e Red Balloon In School e Árvore por serem parceiros incansáveis da escola na busca pela qualidade da educação que tanto sonhamos para nossas crianças!

Com os filhos já de volta às aulas, o estresse volta a tomar conta da rotina das famílias. Desde o desafio de tirar os filhos da cama até a luta para colocá-los de volta para dormir mais cedo, é uma batalha que se estende por mais de quinze horas diárias durante a semana! Que tal aproveitar o próximo final de semana para organizar os ambientes da casa de forma a garantir um ano letivo mais tranquilo? Especialistas da área de psicologia cognitiva e da neurociência afirmam que a forma como vivemos dentro de casa hoje em dia acaba por sobrecarregar nosso cérebro. O cansaço pelo excesso de atividades e informações é responsável pela constante perda de tempo procurando por objetos perdidos dentro do próprio lar: chaves, óculos, objetos de uso pessoal e mesmo informações importantes acabam sendo fonte de estresse ao invés de simplesmente cumprirem a função que deveriam ter. Pense na quantidade de objetos que sua família possuía dentro de casa quando você, pai ou mãe, era criança. Seja na cozinha, com os utensílios domésticos, na sala com objetos de decoração ou dentro dos armário, na quantidade e variedade de roupas e calçados, todos, não importa a classe social, tínhamos uma quantidade muito menor de utensílios. Junte-se a isso o número de tarefas que passamos a acumular e que antes eram executadas por terceiros: o pagamento de contas eram efetuados pelo caixa do banco, a compra de passagens e reservas de hotel para uma viagem eram feitos por um agente de turismo, entre outras atividades do dia a dia.


Não precisamos de menos informação e nem vamos voltar a ter pessoas que façam tarefas que podemos executar sozinhos. O ritmo acesso a novas informações não vai diminuir e, felizmente, há vantagens em exercitar o cérebro (por exemplo, reduzir o risco de Alzheimer), mas precisamos aprender a desenvolver e usar sistemas que organizem estas informações e liberem nosso cérebro para uma vida menos estressante. Vamos dar algumas dicas para deixar cada cômodo da casa organizado de forma a liberar a família para um ano letivo mais tranquilo e produtivo: Cozinha: é o local da casa em que todos passam mais tempo e com maior acesso. Em muitas famílias, é também o cômodo utilizado na hora da tarefa. Mais que isso, é o ponto de encontro e de partida para a escola e trabalho todas as manhãs. Assim sendo, observe como grande parte das discussões e estresse que podem estragar o dia de todos começa na cozinha, já logo pela manhã. Organizar os armários, colocando em prateleiras mais altas utensílios que são pouco utilizados ou doando aqueles que estão ali há tempos, sem a mínima utilidade é um excelente ponto de partida. Menos objetos significa mais espaço livre. Isso permite que, em um momento de pressa, qualquer pessoa da família pode pegar o que precisa, sem o risco do efeito dominó de queda de louça exatamente no dia em que alguém perdeu a hora. No armário de alimentos e na geladeira, deixe em altura acessível, de acordo com o tamanho de seu filho, tudo o que ele gosta de comer pela manhã e levar de lanche para a escola. Além de ajudá-lo a desenvolver o senso de responsabilidade, isso libera tempo para você, impactando em todo o seu dia. Banheiro: é o segundo cômodo da casa mais usado pela família. Comece também eliminando objetos desnecessários ou guardando em outro local pertences utilizados com menor frequência. Instale ganchos e prateleira na altura que seus filhos possam alcançar. Pendure toalhas, roupas e utensílios de uso pessoal de forma que eles possam se arrumar sozinhos, dentro dos limites da idade. Embora possa ser necessária uma fase de adaptação, em linhas gerais, uma criança que está na Educação Infantil só precisa de ajuda nos detalhes finais, podendo perfeitamente se arrumar sozinha. Seus elogios pelo esforço e sucesso serão fundamentais para que a nova rotina seja estabelecida e seu filho transferirá para os estudos os ganhos de auto estima que certamente virão. Sala: sendo um ambiente de uso comum para os momentos de relaxamento e descanso, é fundamental estabelecer regras que podem ser definidas em família. Para ajudar no cumprimento sem conflitos, faça adaptações necessárias de acordo com a faixa etária de seus filhos. Por exemplo, um banco que tenha um compartimento para guardar objetos pode ser útil para que alguns brinquedos estejam acessíveis, mas possam ser guardados facilmente. Caso a mesa em que seus filhos fazem a tarefa seja a da sala, um móvel com gavetas por perto ajuda a manter o material escolar organizado e com fácil alcance. A televisão deve estar sempre fora da área de visão em relação ao local da tarefa. Isso porque, mesmo desligada, o simples fato de compor o ambiente visto pela criança ou adolescente, serve como distração e tira a concentração dos estudos. Quarto: comece pelos armários, deixando uniforme de escola e de atividades extra ao alcance e organizados em pilhas pequenas. Caso os cabides fiquem altos demais para seu filho alcançar, instale ganchos pelo lado de dentro da porta do armário ou na parede próxima, de forma que os cabides de peças usadas no dia a dia da escola estejam ao alcance da criança. Os calçados usados no dia a dia devem ficar à frente, assim como uma gaveta somente com meias para a escola facilita e evita estresse desnecessário. Se este é também o local onde seu filho estuda e faz a tarefa, organize os móveis de forma que TV ou computador, se foi opção dos pais ter esses objetos no quarto do filho, fique fora do alcance da vista quando se está na mesa de trabalho. Para finalizar, um espaço que é crucial para começar o dia em paz, mas que é sempre menosprezado: a entrada/saída da casa. O espaço mais próximo da porta pela qual todos saem pela manhã e entram no final do dia. Um aparador com local específico para chaves, carteira, controle remoto do portão pode evitar muito mais do que o estresse dentro de casa. Ao sair pela manhã sem sustos, todos estarão mais preparados para enfrentar a realidade sobre a qual não têm controle e que aguarda do lado de fora do nosso lar. É também uma excelente opção colocar ganchos ou prateleiras nas quais as crianças possam já deixar suas mochilas e lancheiras preparadas para a saída. Certamente a organização inicial vai tomar algumas horas do seu tempo. O resultado, porém, virá em forma de paz e maior capacidade de concentração de seus filhos na escola. Bom ano letivo para todos nós!


Conteúdos novos todos os dias no nosso Instagram e Facebook.

Clique aqui para acessar.


Saiba mais sobre nossas Palestras: 11.938051719

Informações sobre Atendimento Individual: 11.938051719


📖 Livro "Socorro, meu filho não estuda":

Clique aqui para comprar.

O volta às aulas, em especial depois dos últimos dois anos, é um enorme desafio para os pais e avós também.

São tantos medos e dúvidas que se misturam com a sensação de alívio por poder retomar a vida como ela deve ser: filhos na escola, pais com tempo para cuidar de tantas coisas, inclusive de si próprios.


E o que fazer com tantas dúvidas em relação aos desafios de adaptação das crianças na escola, lacunas de aprendizagem que ficaram das aulas remotas, desequilíbrio emocional que tomou conta de tantas crianças e adolescentes? Buscar ajuda!

Nisso podemos e vamos ajudar você! Ao longo dessa semana, esperamos você, com muitas dicas para tornar este ano letivo mais leve para toda a família e com ótimos resultados no aprendizado!


Marque aqui alguém para acompanhar com você e vamos juntos: nós, vocês e a STABILO que está conosco nessa semana especial de volta às aulas!

Esperamos você hoje, às 21h, no Instagram @soseducacao. Clique aqui para acessar nosso perfil.



Instagram