Buscar

O enorme peso que a quarentena jogou sobre as mães

Segundo estudo da Universidade Northwestern, Universidade da California, e Universidade de Mannhein, na Alemanha, a Pandemia do Covid- 19 vai gerar impacto negativo desproporcional para as mulheres.

Parece óbvio que haverá maior impacto negativo para mulheres? O grande problema quando achamos que a situação é óbvia, é a tendência em seguir o fluxo, sem buscar alternativas para amenizar o que já é previsto. Apesar de todo avanço que tivemos em relação aos direitos da mulher, a quarentena mostrou que seguimos com a sobrecarga de responsabilidades, quando se trata do cuidado com a família. Mesmo em lares nos quais o casal divide as tarefas, é desproporcional a carga de trabalho e estresse emocional que recai sobre as mulheres. Parte desse peso maior se deve à nossa própria tendência de puxar para nós atividades que poderiam ser deixadas para outro momento, compartilhadas ou mesmo transferidas para outros membros da família.

Além disso, persiste, segundo o estudo, a necessidade de maior esforço por parte das mulheres para corresponderem à demanda das empresas, mesmo com menor retorno financeiro. Com escolas e creches fechadas e sem a possibilidade de contar com os cuidadores, fossem eles contratados ou os avós, a sobrecarga para as mães se transforma cada vez mais em um uma bomba emocional, que em algum momento pode explodir.

Tudo isso acontece enquanto as mães tentam dar conta do processo de aprendizagem dos filhos e se preocupam com as consequências que esse período trará para os próximos anos letivos. Eis que os preparativos para a reabertura das escolas chegam para trazer mais um dilema e inúmeras preocupações, quando as mães já estão no limite do que ainda resta de equilíbrio emocional. É hora de respirar fundo e agir nos pontos em que temos controle para amenizar a pressão. Só assim poderemos tomar decisões coerentes com nossos valores.

E o que não vai faltar nos próximos meses é dilema para ser enfrentado!

A cada dia dessa semana faremos um post sobre esse assunto no Facebook e no Instagram.

Para se tornar assinante do SOS VIP e ter acesso ao conteúdo em áudio comentado por nós: clique aqui 😉

0 comentário

© 2014 SOSEducação. Todos os direitos reservados.