top of page
Buscar

Uma alternativa divertida para a pergunta “como foi a escola hoje?”

Se você tem filho em idade escolar, certamente já fez essa pergunta. E, mais certo ainda, é você já ter recebido como resposta um sussurro ou resmungo qualquer. Com um pouco de sorte, talvez um “foi tudo bem” e nem uma pista sequer do que isso significa. Uma das perguntas que os pais mais gostam de fazer e os filhos menos se esforçam para responder. Mas será que ela é tão importante? Sim! Além de ser um momento para você conhecer um pouco mais sobre seu filho, ao fazer perguntas que exijam que ele recorde o que viveu durante o dia, ele exercita a memória e a capacidade de transformar em palavras os sentimentos e experiências que, de alguma maneira, acabarão formando as memórias dessa fase da vida. Quanto mais seu filho é estimulado a pensar sobre o dia que teve, mais prática vai desenvolvendo no desafio de processar situações agradáveis e desafios que são parte do dia a dia. Além disso, mesmo que a resposta seja curta e direta, sem muitos detalhes, fica o registro do seu interesse e disponibilidade para ouvir. É assim, em situações como essas, que ensinamos sobre empatia e demonstramos carinho e interesse pelo outro, em tempos de tanto isolamento e carência de oportunidades para conexão interpessoal.


E será que existe uma forma para conseguirmos um pouco mais do que o “foi tudo bem!”? De fato, existem muitas maneiras para conseguir um diálogo, sem que seu filho se sinta pressionado a falar. Ao contrário, quanto mais leve e despretensiosa soar essa conversa, mais seu filho vai conseguir se abrir e compartilhar sentimentos, alegrias, medos e anseios. Além de aliviar o peso de carregar sozinho algumas sensações mais difíceis de serem processadas, vocês ganham em termos dos vínculos que são reforçados na relação pai/mãe-filho. Separamos uma sugestão para que você realmente consiga com que seu filho compartilhe suas experiências e pensamentos com você. Tudo começa com uma abordagem diferente para a pergunta. Ao invés de “cumprir tabela” perguntando da mesma forma, no mesmo tom, sobre o dia na escola, que tal tentar descobrir mais sobre seu filho/a de uma maneira criativa e divertida?



A dica é propor um jogo de adivinhação no caminho de volta para casa. “Duas verdades e uma mentira” é o nome do jogo: “filho/a, você conta duas coisas que realmente aconteceram hoje na escola e uma que não aconteceu. Eu vou tentar adivinhar qual foi a coisa inventada, que não aconteceu, ou que aconteceu de uma forma diferente da que você me disse.” Uma alternativa que também funciona, é você começar a brincadeira, dizendo as duas verdades e uma mentira, para que seu filho adivinhe qual é a mentira.

Além de ser uma oportunidade de tempo de qualidade para passar com seu filho, através desse jogo você consegue perceber quais acontecimento do dia foram mais marcantes. E, a partir da brincadeira, seguir a conversa, falando sobre os pontos que seu filho trouxe, será mais fácil e natural. O caminho de volta para casa vai se tornar mais um dos momentos que seu filho levará entre as memórias boas do tempo de escola!


Clique aqui para acessar.


Saiba mais sobre nossas Palestras: 11.938051719


📝 Curso "Educar sem Pirar": Clique aqui para acessar.


📖 Livro "Socorro, meu filho não estuda": Clique aqui para comprar.

0 comentário

Comments


bottom of page