Arrumar o quarto traz benefícios para o rendimento no trabalho e nos estudos !

Você já parou para pensar na diferença enorme que existe em relação ao número de objetos que temos em casa nos dias atuais se comparado com nossos avós? Nem precisa ir tão longe no passado. Pense na cozinha de sua casa quando você era criança. Ou na sala, no seu quarto também. Seja qual for a classe social a que você pertence, você tem mais do que seus antepassados possuíam dentro de casa.

Nosso cérebro está sobrecarregado com a quantidade enorme de informações às quais temos acesso o tempo todo.  Esquecer compromissos e perder objetos de uso pessoal são mais comuns do que eram no passado, exatamente pela dificuldade que é para nossa mente lidar com tanto estímulo simultaneamente.

Um ambiente organizado agiliza a tomada de decisão, ajuda na concentração e acaba por deixar nossa memória operacional com mais espaço livre. No video abaixo damos 3 dicas para aproveitar as férias e organizar o quarto de uma forma que contribua para um funcionamento mais produtivo do cérebro.

               

Momentos de ócio durante as férias trazem benefícios para o aprendizado

A grande preocupação dos pais desde o começo das férias é como vão preencher o tempo dos filhos, garantindo diversão e atividades o tempo todo. Isso, porém, além de ser estressante, é totalmente prejudicial, seja qual for a idade do seu filho. Nossas crianças e adolescentes já vivem em um mundo sobrecarregado de estímulos. Acabam não tendo oportunidade para explorar – tanto o mundo ao seu redor quanto a si próprio. Imaginação e criatividade, que deveriam fazer parte do dia a dia de uma infância e adolescência saudáveis, tornam-se cada vez mais raros ou escondidos em algum lugar, lá embaixo da pilha de estímulos pré fabricados.

Pais e responsáveis por colônias de férias acabam errando também ao tentarem planejar cada minuto do tempo, encaixando atividades para todos os momentos do dia ao longo das férias. E, no retorno às aulas, retomam as reclamações pela falta de iniciativa e preguiça de estudar ou pensar que os filhos apresentam. Que tal deixar que seu filho encontre o que fazer em alguns dias das férias? O ócio deveria fazer parte da vida de nossos filhos, assim como fez da nossa vida. Pare por alguns minutos e pense nas brincadeiras que você inventou junto com seus primos ou irmãos durante suas férias escolares.

Se um sorriso surgiu na sua face, está aí a prova de que seu filho lembrará para sempre dos momentos divertidos que ele criou, sem que nenhum adulto planejasse o passo a passo de cada dia das suas férias. Em alguns dias, televisão e internet podem fazer parte da diversão. Em outros, sem alarde, derrube a Internet da sua casa e deixe o ambiente off-line o dia todo. Em nome do amor pelos seus filhos e da oportunidade que eles precisam para descobrir o quanto são capazes de ter iniciativa e criatividade, deixe alguns dias das férias sem absolutamente nada para vocês fazerem juntos!

Veja aqui mais 4 dicas do que não pode faltar nas férias escolares para um bom segundo semestre letivo. 

 

                

4 dicas sobre o que não pode faltar nas férias escolares!

1. Geralmente os pais se preocupam em organizar as férias escolares de forma que possam passar mais tempo junto dos filhos. E isso é ótimo. Todos saem ganhando! Nossa dica é que não deixem de combinar com os pais de outros alunos para que vocês façam alguma coisa juntos. O ideal é aproveitar para aproximar colegas que, até então, nem eram os melhores amigos da sala. Aproveitar o mês de julho para se divertirem juntos, sem relacionar os momentos com estudos ou aprendizagem é uma oportunidade que não pode ser perdida. A opção de passarem uma tarde na casa de um deles é uma boa ideia. Mas tem como melhorar ainda mais a relação se os pais puderem também fazer algo que seja prazeroso enquanto os filhos estiverem juntos. E isso vale para filhos de todas as idades. O exemplo dos pais se relacionando de forma positiva e divertida com os pais dos colegas de classe faz toda a diferença nos laços que os filhos criarão entre si. E quanto mais forte for o elo de amizade que conseguirem desenvolver, mais fácil fica enfrentar os desafios de aprendizagem que virão nos poucos meses restantes para o final do ano letivo. O segundo semestre é um período mais pesado, pois acumula tanto os resultados do primeiro semestre quanto a ansiedade pelo prazo mais curto para recuperar ou manter as notas. O sentimento de estar em uma sala de aula com fortes laços de amizade e carinho pode ser o elemento capaz de gerar o combustível do qual seu filho precisa para terminar o ano de forma tranquila. A construção do ambiente que ele precisa encontrar na escola começa na tranquilidade dos momentos sem estresse ou cobrança por resultados – as férias de julho!

 

2. Colaborar para a organização e bem estar de toda a família traz enormes benefícios para a relação com os estudos. Alguns pais já colocam em prática essa nossa dica, porém, acabam por flexibilizar o combinado durante as férias. Para entender o porquê manter a responsabilidade de seu filho durante as férias, basta lembrar que isso não é um castigo. Ao contrário, ter um atividade cuja responsabilidade é dele só ajuda no desenvolvimento de habilidades como o senso de responsabilidade, empatia e gera a oportunidade para vocês, pais, fazerem um elogio autêntico. Este é o caminho para aumentar o nível de auto estima, gerando assim um combustível que o cérebro usa para manter o foco e esforço necessários na hora dos estudos. Manter a auto estima dos filhos em nível adequado é um grande desafio na era da alta exposição em redes sociais e canais de televisão. Não dá para tirar férias dessa missão! Pelo contrário, relaxados em relação aos horários corridos, fica ainda mais fácil trabalhar este aspecto tão importante do desenvolvimento de nossos filhos. Quanto ao senso de responsabilidade, basta pensar na realidade de nossa vida: por um acaso, quando você pai ou mãe está de férias, não precisa mais cozinhar, cuidar da casa, garantir que tudo corra de forma organizada na rotina da família? Será que todos não continuam a comer, dormir, necessitar de roupas limpas? Então, este é também um aprendizado para nossos filhos: eles estão de férias da escola, não da vida! Tudo bem rever e flexibilizar os horários, mas suspender a tarefa doméstica que é do seu filho só vai acumular prejuízos. Como a conta vem lá no final do próximo bimestre ou trimestre, vocês dificilmente vão relacionar a queda no desempenho escolar com a mudança desnecessária feita durante as férias! Então, partiu retomar o combinado das responsabilidades de cada um dentro de casa?!

 

3. Cada vez mais, pais e alunos têm a tendência de relacionar a leitura somente com a escola e com o período de aulas. Assim, as famílias vão deixando de lado um dos papéis fundamentais dos pais: ajudar o filho a criar o hábito de ler. O mês de férias é uma oportunidade para inserir a leitura como parte da rotina de toda a família. Os benefícios serão enormes para a vida de todos. O impacto positivo no desempenho escolar vem como bônus ao longo do segundo semestre. O desafio é como fazer isso sem criar situações de estresse e tensão em plena época de férias escolares. Uma dica é estabelecer os momentos de leitura para toda a família. Escolha três dias em que todos – sim, eu disse “todos” os equipamentos eletrônicos ficarão desligados e a família toda estará concentrada em ler. Se você tem filhos pequenos, vocês podem intercalar a vez de cada um ler, em voz alta, o mesmo livro. Se os filhos já estiverem completamente alfabetizados, cada membro da família pode ler um livro, ou revista, diferente, desde que estejam todos reunidos em um mesmo ambiente e no mesmo horário. A segunda dica é usar um cronômetro e estabelecer o tempo de 20 minutos durante o qual todos vão estar concentrados em ler. Terminado esse tempo, cada um pode fazer o que desejar, inclusive continuar a ler. A sugestão é que os pais sempre deem o exemplo de não parar imediatamente ao final do tempo marcado. Aos poucos os filhos começam a relaxar e seguem o exemplo de continuar um pouco de tempo a mais focados na leitura. Os benefícios são inúmeros. Dentre os quais, seu filho retorna para as aulas com maior capacidade de concentração, imaginação, criatividade, melhora na comunicação escrita e oral e maior segurança, mesmo em conteúdos nos quais tem maior dificuldade. A relação de confiança dentro da família é reforçada e as chances de um final de ano letivo sem sustos é imensamente maior!

 

4. Quando foi a última vez que você viu seu filho escrevendo por prazer, diversão ou para resolver uma situação que faz parte da rotina da família? As férias podem ser um ótimo momento para trazer de volta para dentro de casa o hábito de escrever! A dica é deixar os filhos como os responsáveis por rotinas que envolvam a escrita. Algumas sugestões são: fazer a lista de supermercado, criar agenda com data de aniversário de familiares e amigos, escrever cartão de aniversário e felicitação em datas especiais, deixar bilhetes com lembretes para os membros da família, fazer a lista de compromissos e atividades do dia seguinte, criar uma tabela de acompanhamento dos gastos com luz, água, internet. Além da responsabilidade compartilhada envolvendo a escrita, crie momentos de diversão em família nos quais o lápis, papel e caneta estejam presentes. Brincadeiras como STOP, em que todos devem escrever palavras para cada categoria (nome, carro, cidade, fruta) de acordo com a letra sorteada, são excelentes oportunidades para praticar a escrita sem relacionar a atividade com os estudos. O cérebro do seu filho agradece! Quanto ele escreve à mão, desenvolve e melhora a coordenação motora, pensamento crítico, segurança, capacidade de tomar decisão, enquanto diversas áreas do cérebro são ativadas simultaneamente! A capacidade de atenção e aprendizagem de todos os conteúdos acadêmicos é turbinada e a volta às aulas será repleta de energia e novos recursos que facilitam a aprendizagem!

 

 

            

Atividades de férias que podem garantir um melhor rendimento no volta às aulas

Nas férias seu filho está cheio de tempo livre e pode aproveitar para passar mais tempo grudado nos  cadernos estudando não é mesmo?! Mas que tal se vocês aproveitarem esse período para fazer outras atividades que trarão um resultado muito maior para o rendimento dos estudos quando as aulas começarem?  Confira o nosso vídeo com algumas dicas sobre o que fazer nas férias para que o segundo semestre letivo do seu filho seja muito mais produtivo:

 

 

                

Elogiar seu filho pode ser o caminho para um bom desempenho na escola

A forma como os pais elogiam os filhos na faixa etária de 1 a 4 anos tem um impacto enorme no desempenho escolar futuro.

Na correria do dia a dia, a tendência é olhar rapidamente o resultado do que a criança fez e elogiar o produto final. Mesmo durante as refeições ou na montagem de um brinquedo, raramente os pais estão concentrados somente no passo a passo que a criança seguiu para atingir o resultado final. E no processo está exatamente o ponto mais valioso a ser incentivado.

Tirar alguns minutos para curtir esses momentos traz enormes benefícios para a vida escolar da criança no futuro. Mais que isso, acaba sendo a oportunidade de ensinar pelo exemplo: ter o pai concentrado em observar o filho brincando é a melhor maneira para que a criança aprenda a focar. O ganho é também do responsável, que sente o tamanho do desafio que é deixar de lado qualquer distração e se concentrar em apenas uma atividade, mesmo que por espaço curto de tempo.

Incentivar a nova tentativa, participar ativamente do momento e demonstrar o quanto esses momentos são valiosos fazem toda a diferença para seu filho. Momentos simples compartilhados entre pais e filhos ajudam no  desenvolvimento de uma criança segura e capaz de lidar com os desafios que enfrentará ao longo de sua vida como aluno mais tarde.

Crianças que recebem elogio pelo processo e não pelo resultado apresentam melhores resultados na escola entre a primeira e a quarta série do ensino fundamental. Quando os pais demonstram admiração pela dedicação que o filho colocou na resolução de problemas e conclusão de atividades do dia a dia, a criança assimila que é capaz de vencer os desafios que a aprendizagem apresenta a cada etapa. A consequência é um ótimo relacionamento com os estudos e bom desempenho escolar. Que tal trocar o “ficou lindo seu desenho” por “estou orgulhosa do seu esforço!”?